sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Homem é homem e Mulher é mulher?

Não tem como passar incólume por muito tempo. A escolha é dela, claro: falar ou não falar, eis a questão! É um direito. Mas, até quando? Os outros não têm o direito de saber? Corta-se o excesso, mas a essência permanece. A linguagem, trejeitos e o despudor denunciam: "Há algo estranho, o que será?"

A "brincadeira", se é que se pode chamar assim, era pra ter acabado após a primeira festa. Acho. Se fosse o Mark, por exemplo, no lugar da Ariadna, tenho certeza que ele já teria reunido a galera e dito:

"Olha só, amiguinhos, entrei no time das mulheres, mas nasci homem, sou homem, mas curto homem, cortei o bilau, tomo hormônios femininos etc e tal. Deixei rolar pra ver até onde iria a 'brincadeira'. Claro que, se houvesse intenção dos meninos de se envolver, eu exporia os fatos."

Ou seja, seria o que se espera num reality em que a convivência tem que ser a menos desconfiada possível. Eu penso dessa forma, cada um que pense a sua, respeito. Eu só vejo essa maneira da Ariadna não se tornar alvo de eliminação por conta da omissão, ou, mais ainda, e agravante, viver de pantomimas e dissimulação para que a mentira se torne verossimilhança. E, dependendo da abordagem que ela fizer, pode até ganhar pontos com a galera. Alguns ririam de um ou outro que se deixou enganar, mas, passaria, e não seria tão constrangedor quanto a descoberta imposta ou após a eliminação de algum brother que se atrevesse ir mais fundo. Já pensou Ariadna e Diogo no edredom? Eu gargalharia horrores, pois eles se submeteram ao acaso quando assinaram o contrato, mas não quero isso pra mim. Entenda! Não gostaria de ser enganado, pensar que fosse uma coisa e é outra. E se rola paixão? Ferrou! Ou não!

Me reservei o direito de não falar sobre o assunto até então, pois resvala em ambíguos sentimentos, preconceitos, ignorância (minha, inclusive.), formação, nichos, valores, enfim, uma celeuma que é idiossincrásica — maneira de ver, sentir, reagir, própria de cada pessoa. E, portanto, um assunto delicado, escorregadio e que não me vejo com embasamento para pautar com propriedade. E mesmo tendo o cuidado que o assunto requer, ainda cometeria, na visão de alguns, certo exagero ou preciosismo. Contudo, é o mote dessa primeira semana de confinamento e o programa nos dá oportunidade para deliberar sobre algo um tanto polêmico e que faz parte da realidade no mundo.

O Big Brother é entretenimento sobre comportamento humano, o clima agora é de "amigos para sempre", mas, escamba, de uma hora pra outra, em "campo de guerra", quer seja velada, com indiretas ou segregação, ou declarada, com preconceito explícito. Fora da Casa é mais intenso, já que a "liberdade" para se dizer o que bem entender é mais irrefletida e descomprometida, pois não estamos sendo julgados pela opinião pública. Quer dizer, não estamos, vírgula, pois sempre há uma consequência. Logo, há de se notar que o assunto é complexo, apesar de ser tratado a princípio de forma jocosa e indiferente.

Como esse blog é voltado para adultos, bem diferente do programa, que é monitorado por menores, gostaria de saber a opinião de vocês sobre o tema. É bom lembrar que sim, somos preconceituosos, somos uma sociedade machista, evidente, mas, amigos, penso que se houver o princípio da verdade é mais fácil o caminho da aceitação e respeito pelas diferenças. Afinal, sexo e amor, pode-se dar e receber independente de gênero, acontece, a gente não escolhe, deixa fluir. Pode-se amar homem ou mulher ou ambos e ser feliz. O óbice é conviver sob olhar repreensivo, inquiridor e desconfiado. Creio que para aqueles que não aceitam orientação sexual alheia diferente da sua, a omissão/mentira pesa mais do que a forma como a pessoa ama o semelhante.

Eu assumo que é complicado pra eu entender o porquê de alguém querer se transformar naquilo que geneticamente nunca será. Mas, já que está se expondo, a priori não teme o preconceito por ser quem é, então que se assuma e não tente enganar os outros. Ariadna não fez assim na vida real, assumiu sua condição pra um namorado e foi feliz? Então? Creio que fica mais ameno o caminho para a compreensão dos porquês do moço virar moça.

Ainda é difícil conviver com a diversidade e, sinceramente, creio que, paulatinamente, estamos evoluindo no sentido da boa convivência das diferenças. A luta das minorias e excluídos, o cuidado na lapidação das leis caminha para essa realidade. Falta muito eu sei, mas passos importantes estão sendo dados.

Eu não gostaria de ser enganado. Nem na vida real, tampouco num reality em rede nacional.

Você pode continuar na casa pela sinceridade e honestidade, o Brasil tem hipocrisia, mas valoriza a sinceridade. Tem que assumir as coisas. Fazer é fácil, mas assumir as consequências é que é difícil”, Lucival do BBB11

75 comentários:

aline disse...

"Eu assumo que é complicado pra eu entender o porquê de alguém querer se transformar naquilo que geneticamente nunca será."

Basicamente o que vc está dizendo é que Ariadna é homem, no fundo, ainda que disfarçada, modificada, ainda que depois de um processo que vc é claro respeita, mas um homem, em seus genes. Só que ser homem e ser mulher não é algo que se estabelece estritamente pela genética e, quando a identidade de gênero, que é um fato psicológico, desmente o corpo, os genes que se danem. Ariadna é mulher, não existe essência, como vc diz, não existe cromossomo que mude isso. Não é mentira que ela é mulher e heterossexual, assim como não é enganação que ela se meta num edredon com algum rapaz. Ela não está escondendo a verdadeira identidade, pelo contrário, está escancaradamente mostrando sua feminilidade, algo que está nela e é tão forte que a fez mudar o próprio corpo. O que ela omite é sua história, assim como Maria omite que é prostituta e atriz pornô, e talvez algumas aí já tenham omitido que são divorcidas, ou que fizeram aborto, por receio do moralismo dos outros ou simplesmente porque não são obrigadas a revelar mais do que querem.
Fiquei meio incrédula e desconfortável lendo seu post. Francamente, achei preconceituoso - coisa que vc parece suspeitar já. Se quer opinião mesmo, eis a minha.

Kane disse...

Fique à vontade, aline. É isso que quero mesmo. Opine!

Sim, não entendo mesmo o porquê de alguém querer ser o que nunca será. Cortar o excesso, tomar hormônios e tal. Mas, fui sincero, quem sabe com o programa eu não veja por outro lado. Ou quem saiba eu nunca saberei, não é mesmo?

Eu entendo um homem amar outro homem, uma mulher amar outra mulher, mas não consigo compreender o "transformar". É bem diferente de eu "aceitar" ou não. E sim, eu aceito as diferenças. E na minha vida sempre busquei a compreensão dos fatos. A questão do psicológico tem a ver, claro, mas, mesmo assim, não compreendo, não acho suficiente. Ainda busco o caminho da Compostela.

Minha cara, Ariadna NUNCA será mulher. Biologicamente NUNCA! Psicologiamente ela pode ser um Cágado também. E aí, o que será! Essência quelônica? Mas é complicado pra eu te explicar aqui. Talvez faça um post sobre. Quem sabe?

Não fique desconfortável, a intenção do post foi a de gerar opiniões mesmo, principalmente contrárias.

Obrigado.

Anita disse...

Kane
No caso d@ Ariadna, vejo que o problema está nela, e é interno. Não passa pela sua cirurgia, por um pedacinho mais ou menos de carne.
Pensou - a priori - que seria "o tema" do bbb, subestimou os olhares daqueles que sabem ler muito bem as coisas do sexo (por vivências, por papos, por trejeitos) e também, está brincando com os telespectadores, ao achar que só isso (ter uma espécie de "trunfo" nas mangas) bastaria para "causar" num bbb. Provavelmente, sim num bbb 2 ou 4, mas não num 11.
Sem preconceito, acho que Ariadna falha, ao não se sentir forte para se garantir por ela mesma (ou ele). Necessita de um artilúgio (mental, psicológico) que a faça estar lá.
Vejo que esta turma é forte, tem personalidade e poucos samambas (comparados com outras edições).
São muito faladeiros, se expõem, enfim, não vejo muito futuro para ela nesse contexto.
Uma pena mesmo!

Abraços!

aline disse...

mas qual é a definição de mulher, então? biologicamente, tem que ter uma vagina? ela tem. tem que ter útero? minha mãe não tem, teve que tirar por causa de um tumor. ovários, menstruação? qual é exatamente a condição biológica irremediável que faz de uma mulher, uma mulher?
vale pra tentar definir homem. ter um pinto basta? alguém que foi castrado, que se acidentou, deixou de ser homem?

eu acho que a biologia não dá conta mesmo. é insuficiente pra definir os gêneros. mas enfim.


não deixei abraço da outra vez. desculpe a grosseria, e abraço :)

Mariquinha disse...

Kane, eu concordo com vc. Não gostaria jamais de ser enganada.

Silvana Marmo disse...

Olá Kane,
Amei seu texto e concordo que o assunto é bastante complicado, se focarmos pela óptica da sinceridade, independente de opção sexual ela deve ser preservada sempre, a postura desta moça (o) pode ajudar ou prejudicar muito na discussão da homofobia, tão tratado no BBB anterior, é uma grande responsabilidade e/ou oportunidade uma vez que o programa tem uma audiência alta e abre diversas discussões na internet. Espero que ela saiba levar este assunto, e não se esquecer que apesar de ter feito cirurgia seu código genético não foi alterado e seus cromossomas sexuais continuam sendo X e Y (masculino) mesmo com tanto hormônio.
Meu carinho
Silvana Marmo
http://profcoordenadorpira.blogspot.com/
http://conversandoumpoucodetudo.blogspot.com/

Lilah disse...

Kane,

Bem amigo, vc sabe o quanto eu respeito vc né? Mas nesse ponto estamos em campos diferentes. E eu começo dizendo que entendo seu estranhamento. Entendo por que já o vivi.
E vou tentar explicar de uma forma simples o que é extremamente complexo. Ariadna não é homem Ah, mas ela tem um cromossomo y e um tinha um pênis. E nós somos 98% geneticamente igaus a um rato. E não somos um rato. Ela continua não sendo homem por ter pinto.
Existem dois sexos biológicos. Mas identidade de gênero não é biologia. Ariadna não é um homem querendo ser mulher. É uma mulher (seu cérebro é organizado de maneira feminina, seus sentimentos e desejos e até a forma de enxergar o corpo é feminino) que por um erro nasceu com um pênis. E imagine a dor de olhar um corpo que vc odeia e não reconhece como seu.
Setenta por cento dos transexuais, que são diferentes de travestis, tentam o suicídio antes da cirurgia. Mais da metade se automutila na tentativa de se livrar de um corpo que o agride. A maioria não tem nenhum prazer na relação sexual com um orgão que não reconhecem como seu. E eles não são gays, não se sentem atraídos por homens gays.
Contar ou não é sempre um drama pra elas. Por que estão de novo sujeitos a serem vistos como não mulheres, desprezadas e tratadas como aberração. Ariadna deve saber o risco que corre. E acho que vai contar. Mas entendo o medo.
Ela namorava e seu namorado, homem e hetero, sabia disso e a via como ela é. Uma mulher que por um erro qualquer nasceu com um pinto. Tem uma entrevista dele no terra. E se vc quiser leia meu ultimo post no meu blog Mãe, sou gay em que falo justamente da questão da transexualidade.

Martinha disse...

Kane

Falar ou não, acho que vai das intenções dela, se ela tiver planos de ficar com alguém, eu acho sim muita sacanagem ela não contar, por que é direito do outro saber

Kane disse...

Aline,

Digamos que ela tenha técnica e queira participar de algum esporte como atleta feminina. Ela não será aceita como mulher ao fazer um cariótipo, pois sua identificação biológica apontará cromosso sexual XY.

Uma mulher tem cromossômos sexuais XX e não XY.

Curiosidade: vc sabia que quem determina o sexo de uma criança é o pai e não a mãe? Exatamente porque somente o homem tem o cromossomo Y? Aí, vc lembra que antigamente os Reis casavam com uma e outra culpando as mulheres por não lhes dar um filho varão? Então... a culpa não era das mulheres e sim dos Reis. Pois só homens podem gerar homens.

A Ariadna é Homem, biologicamente.

Eu disse...

Penso como a Aline, por que só a Ariadna tem que revelar o seu passado ? Quem ali abre a vida, o que já fez e deixou de fazer ? Por que uma pessoa tem que se assumir ? Existem tantos preconceitos, crimes de ódio pelo diferente, quem tem que saber é a pessoa, que é a realmente interessada.

Anônimo disse...

eu entendo a Ariadna como transexual, acho que se for numa balada e pegar um cara que ela nunca mais vai ver ela não precisa falar, mas nesse caso acho que sim ela precisa, ela sabe que aqui fora todos nós sabemos e estamos a julgando, ela e todos os homens que se aproximam dela não sabendo da verdade, hoje ela dormiu na cama com Cristiano, imagina quando ele souber disso, ele não parece uma pessoa muito tolerante com homosexuais, imagino que ele não deveria gostar de saber.
o namorado dela deu entrevista dizendo que sempre soube e sua familia também, mas ali dentro ela não contou para ninguem.
Gostaria que ela falasse sobre o assunto abertamente, falando o porque ela optou por isso, falando tudo que a Aline e a Lilah falaram, para que as pessoas a entendesse e pudessem olhar para ela com um olhar de compreensão e não de preconceito. se ela falar abertamente sobre o assunto terá o apoio dos dois gays da casa, mas ela prefere esconder, mesmo diante da desconfiança dos dois, acho uma pena, e acho que ela faz um deserviço a causa LGBT.

luci disse...

Querido Kane ...
Por não me sentir especialista no assunto, vou me ater ao tema sinceridade ou não ...
Acho sim, que a sinceridade nesse momento a pouparia de um constrangimento maior no futuro !!!
Afinal, brasileiro é bonzinho e tem memória curta ...
Beijus

Anita disse...

Voltando...
Particularmente, abomino àqueles que fazem o outro de gato-sapato.
Caso venha rolar algo com alguém lá dentro, e ela (ele) continue a não se manifestar... como fica o outro?
O direito dela (dele) se preservar lá dentro, termina onde começa o do parceiro a saber com que está lidando. Não falamos aqui de cortar cabelo, e sim, de um vínculo emocional.

Obs: se tanto pensasse em se preservar, não teria se inscrito num bbb...

Estressada disse...

Entendo o seu ponto de vista, mas sinceramente? Só não ver quem não quer? Assisti apenas alguns minutos e ela não é gay... Ela é poc poc (afetada)... Ela não fala como mulher, não age como mulher... Talvez ela ainda esteja em fase de descoberta, sei lá... Tanto é visível que alguns já perceberam. Mesmo uma "Fani" que sempre falou de sexo de forma escrachada, não tem o linguajar da Ariadna, que mais parece homem falando sobre o assunto.

Se ela precisa falar, já não concordo. Não inicialmente e isso pode ser usado a favor dela mais pra frente no jogo. Explicando: Eu não me apresento dizendo: Oi, gostaria de dizer para vocês que sou Hetero!
E pq ela deveria se apresentar dizendo: Oi, gostaria de dizer pra você que sou Trans?

Mais pra frente no jogo, se ela não sair antes disso... Ela pode deixar mais em evidencia e o preconceito pode sim prevalecer e ai está o vencedor do BBB11...

Mas pode ver que ela não nega que seja Trans. Quando o Lucival falou com ela, ela não negou e nem confirmou, apenas se calou....

Kane disse...

Estressada,

"Se ela precisa falar, já não concordo. Não inicialmente e isso pode ser usado a favor dela mais pra frente no jogo. Explicando: Eu não me apresento dizendo: Oi, gostaria de dizer para vocês que sou Hetero!
E pq ela deveria se apresentar dizendo: Oi, gostaria de dizer pra você que sou Trans?"


Eu já cho que o fato dela não dizer pode ser usado mais na frente contra ela. E não vejo a questão de dizer a preferência sexual como relevante. A relevância paira em se apresentar como mulher e todos pensarem que ela é. Rs Pra mim ela não é, entendeu? E se for questionada? Porque pistas ela dá e são gritantes. Espero que fale a verdade, caso questionada. É isso.

Me lembrei agora do filme Madame Butterfly, onde o personagem do Jeremy Irons é enganado por uma "gueixa", tiveram um tórrido caso de amor. Esse filme me pegou. Juro que só no final eu descobri que Song Liling era homem. hehehe O 'enganado' também só descobriu após anos e pirou de vez.

Flávio disse...

Esse BBB11, pra mim, mais do que qualquer outro, está tendo ares de novela, pelo menos neste começo. Digo isso porque antes, nas outras edições, os participantes eram selecionados e a gente via no que ia dar a mistura. Nessa edição, além disso, há ganchos dramatúrgicos, ou seja, personagens que nos fazem iamginar o confinamento como uma história prestes a se desenrolar, que nos prendem na ansiedade de prever as cenas dos próximos capítulos. Como exemplo eu cito a presença do sabotador, e claro, a presença de Ariadna.

O texto deste post mostra o quão profundo nós podemos ser se quisermos e, claro, se a produção do programa e seu elenco nos fornecer material pra isso. E Ariadna é exatamente esse material. O seu segredo poderia segurar a expectativa do telespectador por semanas. Se o BBB fosse escrito, esse certamente seria um mistério guardado pros últimos capítulos, mas como não há roteiro (sorry conspiradores) as coisas podem complicar, o que não é menos interessante.

O jogo da Ariadna se transformou num jogo de risco. Até aqui foi legal, foi engraçado, manteve o programa nas rodas de assunto, mais do que ele já está. Nos possibilitou imaginar como aquelas pessoas que convivem com Ariadna, que a abraçam, que conversam com ela, se fariam a mesma coisa se soubessem de seu segredo.

Talvez essa tenha sido a intenção dela. Podemos imaginar que o mundo de Ariadna não tenha lhe dado tanto luxo como hoje ela encontra na casa. Ela tinha medo de não ser aceita ou de ter os seus relacionamentos na casa envoltos numa crosta de gelo que a distanciaria do turma popular. Ou talvez ela tenha mesmo é querido tirar um sarro da casa inteira e do Brasil.

Seja lá qual for sua intenção, sua presença é instigante para nós, que estamos sempre à procura de novos debates acerca do confinamento. E no aguardo de divertidos próximos capítulos.

FalaSerioXuxu disse...

Kane, eu não creio que haja uma resposta única para o tema. Ou uma única abordagem.

Pra mim a questão não se reduz à transexualidade da Ariadna. Extrapola e questão da identidade sexual. Pra mim, ali, o problema é de caráter mais do que ter nascido homem e buscado um corpo exteriormente feminino.

Me vem a mente a ficção de Transamerica, em que o transex omite do filho a sua condição de pai assim como a sua transexualidade. Há homens e homens, mulheres e mulheres, e transex e transex. Eu creio que eu não gosto da pessoa da Ariadna, mais do que da sua transexualidade. Assim como não gostaria dela homem, creio, da mesma maneira que não gosto da sua "identidade" feminina.

Acho difícil fazer um julgamento moral da sua transexualidade. Apenas não gosto dela. Ao mesmo tempo sinto pena. Ariadna não é homem, nem tão pouco é mulher_ é apenas uma caricatura.

Maria Guilhermina disse...

Concordo com você, o assunto é extremamente delicado. Como mulher, não faria qualquer diferença para mim, saber se ela mudou de sexo ou não, eu a trataria como mulher. Mas acho que qualquer homem que queira se envolver com ela, tem o direito de saber. Conseguem imaginar se ela "fica"com uns dos homens da casa, por uma noite que seja, e esse homem saia num próximo paredão. Já pensaram como ele seria tratado aqui fora? Como idiota, que foi enganado, viraria motivo de piada para um monte de gente ignorante. Mais uma coisa que gostaria de dizer: como é que eles não perceberam? Meu filho (22 anos) que nunca assistiu nenhuma ediçao do BBB, entrou no meu quarto quando eu estava assistindo e em 2 minutos perguntou: ela não é uma mulher né? é travesti?

Kane disse...

Eu quero o Diogo no paredão!
Nunguentomais!

Jordana disse...

sobre a decisão de contar ou não contar aos colegas de BBB, temo que haja algo mais sério impedindo a Ariadna de dizer a verdade.

imaginem se ela assinou um contrato com a produção obrigando-a a manter o segredo pelo maior tempo q pudesse? ou não exatamente uma obrigação contratual, mas uma pressão psicológica exercida pelo Boninho?


e sobre ela ser mulher... bem. eu sou estudante de Direito. uma ciência social aplicada, portanto. não dou tanta importância assim para a genética, sinceramente. é um fator importantíssimo, claro. mas acho q um humano inteiro, e não apenas um espécime de homo sapiens, é formado por muito mais do q genes.

geneticamente, homem. socialmente, psicologicamente, juridicamente, mulher. diante deste contexto, acredito ser mais correto defini-la como mulher. é até uma questão de respeitar a condição dela, e respeitar todo o sofrimento, todas as dificuldades q ela enfrentou para conseguir sentir-se uma mulher plena.
inclusive, ouso dizer q ela é mais mulher q eu, q sou mulher nascida. kkkkkk

nem sempre a biologia é tão importante assim. se fosse, não existiria aquela máxima "mãe não é quem botou no mundo; mãe é quem cria!".

eu mesma disse...

eu amei esse filme que vc citou "Madame Butterfly" e tb fui surpreendida no final...acho que foi o único filme que me fez chorar...

quanto à Ariadna, eu confesso que sinto uma enorme pena dela...deve ter sofrido horrores antes e ao se submeter à essa cirugia "transformadora" ou "reparadora", e tb para conseguir alterar seus documentos legais (o que é muito complicado aqui no Brasil). na cabeça dela agora é uma mulher plena, pois mulher sempre achou que fosse... então deve ser muito complicado para ela assumir, publicamente, que nasceu num corpo de homem...então, como nasci mulher e sempre gostei de ser mulher, não me sinto no direito de julgá-la e nem sei avaliar se ela deve ou não contar a sua história...acho que ela já virou essa página.

é isso.

Claudia disse...

Alteridade, senhor blogueiro, alteridade. Conheces, pois, suponho.

Descendo do intelectualismo-not, caraca, que gente feia! E chata, a dessa edição 11.

Até hoje o melhor BBB foi o primeiro. Aquele sim foi verdadeiro. Claro que só até uma semana antes da eliminação, como sói ser toda novela global, mas, no meu mod'de vista, foi o melhor. Saudades da Leca. E da arte plástica cabeluda - ele guardava cabelos alheios em casa, lembram, lembram? eca! - 'instalação-atemporal-modo-clássico-vanguarda-not' do Adriano. Ah, o coitadismo da Helena e a pele ruim da Shayanne, Saheienny, Shaiennyy, enfim.

Perdão, segue a discussão.

Anônimo disse...

Ariadna me parece muito egoísta, contanto que ela realize seu sonho de ser mulher, dane-se os sentimentos dos outros.
Não gosto dela, vulgar e exagerada.

Cláudia disse...

A questão é delicada sim, mas a proposta do post a meu vê ,é questionar a reação de um dos homens no bbb ,caso venha a se envolver com Ariadna, ao descobrir que ela é transex, levando em consideração que vivemos numa sociedade machista.Paticularmente eu acho que ela deve contar,principalmente visando sua propria segurança.Quanto ao fato de ela ser homem ou mulher,será sempre tema de muitas discussões (vide Roberta Close).

guilherme disse...

Adoro seus comentários, mas vou te dar uma dica, se é que vc aceita: não escreva posts longos, pois cansa. Eu por exemplo, começo lendo empolgada e depois começo a cansar desisto de ler até o final. Abraços!!!

Kane disse...

Valeu, guilherme!
Dica anotada. Não sei se será atendida. Vamos ver. A prolixidade me acompanha faz tempo, já que a síntese não é meu forte. Confesso que ando exercitando em outras praias. rs
Abraço.

Jordana disse...

bem, é lógico q genética é importante. e hormônios. e todo o resto.

mas veja, dentro das possibilidades dela, Ariadna chegou o mais perto possível de ser mulher. sua necessidade de tornar-se por fora aquilo q ela sempre foi por dentro era tão grande q ela não se deixou abater por todos os obstáculos: o machismo, o preconceito, a falta de dinheiro, religião (se ela tiver alguma crença), e as próprias limitações físicas.

vejo todo o esforço q essa pessoa fez para ser algo q outras pessoas são apenas por terem nascido, e não consigo ter a audácia de dizer q ela É homem. homem é o passado dela, e o fardo mais pesado q ela carrega. eu é q não ficaria o tempo todo apontando pra ela esse fardo.

Kane disse...

Personas, leio todos!
Obrigado pelos comentários.
Abraço!

Anônimo disse...

Concordo integralmente com os comentários da Aline, e da Lilah. A identidade de gênero é sempre subjetiva e, portanto, psicológica. Quando o conflito com a identidade biológica se torna insuportável, se a pessoa ñ comete suicídio, opta pela transexualidade. Há muitos estudos sobre o tema, fáceis de encontrar, caso queiram ler.
Definir Ariadna por suas características biológicas de origem, é negar o direito que ela tem de se identificar como mulher. Roberta Close demorou 15 anos p/ conseguir mudar seu nome, mas essa conquista foi importantíssima p/ as mulheres na mesma condição. Outro direito que ela tem é o de revelar sua história se quiser, e p/ quem quiser.
Me desculpe o comentarista q fez a comparação com o abacaxi: se a pessoa pensa q é um abacaxi, é portadora de psicopatia.
Abraço.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Exatamente, anônimo! Chegou onde eu queria...
Se ela tem o direito de se identificar como mulher, por que o cara não pode se identificar como abacaxi? Ele é o doente, ela não. Interessante.
Gostaria muito de ler esses estudos. Onde?
subjetividade agora é padrão então também quero ser uma super vaca leiteira. Tem como? Xiii, sou doente. só pode ser mulher e homem, vaca não pode. cada uma.

Anônimo disse...

Abordar o tema da transexualidade apenas sob o prisma biológico é uma opção, embora bastante limitada. Por essa razão, vários estudos, e intervenções, têm optado por formas multidisciplinares de tratar o assunto. Psicopatia difere muito de transtorno de identidade de gênero. Você perguntou sobre os estudos. Indico um texto de um prof. da UFRJ, e uma entrevista c/ especialista. http://www.geledes.org.br/artigos-estudos/transexualidade-05/10/2010.html
http://www.sbrash.org.br/portal/files/pdf/o_ser_mulher_o_ser_homem_e_o_transexualismo.pdf

Kane disse...

hahahahahaha

Agora eu ri.

Calma, gente!

Seguinte. Anônimo(02:54), acho que tá faltando interpretação de texto. Tudo que vc diz é o óbvio, eu não disse o contrário. Pautei sobre uma coisa e vc outra. Mas, me diz uma coisa: uma pessoa que pensa em suicídio precisa de que? Tratamento psiquiátrico ou endocrinológico. Tomar hormônios resolve?

E ninguém aqui, eu ou outros comentaristas, negou o direito dela ser o que bem entender perante o Direito. Eu, particularmente, abordei apenas o biológico e a questão dela se assumir na condição que é. Apenas isso. Relaxa.

Quanto ao direito dela se revelar, também expus que sim, é direito dela, apenas confrontei a necessidade ou não dela fazer isso em um reality e as consequências cabíveis à omissão ou mentir sistematicamente sobre sua condição. Ou será que não está bem explicado?

Ai ai, por hoje chega.

Inté!

Kane disse...

Eu não consegui abrir o link que vc mandou, achei esse aqui bem interessante:

O SER MULHER, O SER HOMEM E O TRANSEXUALISMO
BASES BIOPSICOSEXUAIS


Tem muito do que abordei aqui.

Agora vou.
Abraço

Blue eyes disse...

Ziguinte Kane,

A abordagem biológica não é suficiente aqui. Não mesmo.

Alguém aí da caixa mencionou a Roberta Close, mas por acaso tenho uma informação distinta sobre ela. Biológica. La Close é pseudo-hermafrodita. Explico: ela tinha uma vagina fechada e um pênis atrofiado (o hermafrodita verdadeiro têm ambos). Foi criada como homem. Mas era mulher. Há um filme argentino, excelente, sobre o assunto. Chama-se "Alex". Recomendo fortemente para quem se interessar sobre o assunto (hermafoditas).

Ariadna não é um hermafrodita, nem pseudo-hermafrodita. Nasceu com cromossomos XY mesmo, mas, psiquicamente, é mulher. Converse com gays "comuns". Eles não querem cortar o pinto, botar peito, nada disso (podem ser ultra-pintosas, passivonas, afetadíssimos). Eles se sentem atraídos por pessoas do mesmo sexo, sim. Ariadna é diferente.

Ela recusou a própria anatomia, porque se identifica como mulher. Não tente entender com a "tua cabeça". Jamais conseguirá. Como entender? Esqueça o físico e o racional. Inconscientemente, você possivelmente já se excitou e ejaculou sem se tocar. Durante a noite, chama-se polução noturna. Foi um sonho. Sim. Lembra-se dele? Não? Por alguma razão, a tua consciência te impede de ter contato com isso. Você reprime conscientemente. Freud explica.

Não, não estou insinuando que você é um gay enrustido, nada disso, risos. Só quis te dar uma prova "física" de que nem o prazer sexual é uma coisa apenas "física", como tendemos fortemente a acreditar. Gozamos com a cabeça (de cima), com o auxílio luxuoso da de baixo - e não o contrário. Ariadna renunciou à cabeça de baixo para preservar a de cima. Capicce? O contrário é sofrimento profundo ou loucura, cara.

Há um trecho teu que eu gostaria de comentar para além desse nariz de cera (jargão = introdução que rodeia, mas não vai ao ponto). É esse aqui, ó:

- Não gostaria de ser enganado, pensar que fosse uma coisa e é outra. E se rola paixão? Ferrou! Ou não.

Justamente. Imagina que você É MULHER (veste-se como tal e até cortou o pinto!). Você simplesmente não atrai "homossexuais" (Ariadna deixou bem claro que ela gosta de homem, nada de velcro!). Porque homossexuais se sentem atraídos por pessoas do mesmo sexo: ainda que seja travestido de mulher (longa explicação aqui, da qual vou me - e te - poupar). Quem curte traveco autêntico é um público muito específico também, NÃO É um gay comum. Por razão fálica, quem curte traveco não necessariamente vai curtir a Ariadna. Porque o traveco proporciona ao homem a experiência de ser "comido" por UMA MULHER. Tem homens que curtem fio terra com mulheres de verdade e NÃO SÃO homossexuais.

Ariadna procura e quer homens heterossexuais. Ponto.

Se o fulano se sentiu atraído, desejou, quis, rolou paixão e.... depois descobriu que "foi enganado", so sorry: ele estará a reprimir um impulso/desejo sincero por uma razão cultural. Ou seja: ele que aprenda a lidar com o preconceito dele.

Ariadna NÃO TEM que andar com plaquinha de identificação em lugar nenhum, na minha opinião. Nem no BBB.

danielle disse...

Não gosto dessa jogadora,então....Espero que não conte agora.Deixa ela se queimar primeiro...rs
Se ela contar agora,imagina s homens se afastando e as mulheres fofocando,e a jogadora Ariadna se fazendo de vitima....NÃOOOOO.Outro bbb que ganha por se fazer de vitima e 'isolado pelo grupo' ...Nãoooooo

Anônimo disse...

olá Kane...ler vc é bom demais..que pense que estou bajulando..To mesmo!!! Gosto muito de vc e de como expõe suas opiniões vc é o cara !!

Escreva, escreva muito post interessante nunca cansa...essas pessoas não leem livros, matérias em jornais/revistas?

Esse debate sobre a transexualidade poderia ser mais interessante se a Ariadna não fosse tão vulgar. Mas sabe que andei pensando que até nisso ela tem direito, se fosse quietinha talvez a aceitação ou tolerância fosse um pouco mais tranquila, fácil não será nunca por essas terras brasilis...isso é fato!
Rosangela( não sei colocar o nome).

Lana disse...

Que sacanagem do Universo fazer isso com alguem: impor um corpo de um gênero para uma cabeça de outro... É isso o que, para mim, é mais tocante no caso Ariadna.

O que eu faria se ela fosse?

Contaria de prima, para evitar ferir o orgulho machista daqueles que se aproximassem dela com instintos machistas também: "Aí...mó gostosa. Se bobear dou um tranco e alivio a tensão"

OU

Não contaria, por me achar também merecedora de aproveitar as casualidades desse mesmo Universo e quem sabe conhecer, curtir ou até viver um lindo romance com um dos belos? Afinal, mulher não pensa assim?

Difícil, né?
Tenho dó!

Lana disse...

A propósito...

Kane, beijos, saudades e que bom que terei um canal que gosto para comentar.

Teca disse...

Olá

Concordo com voce. Procedimentos cirurgicos e hormonios não são capazes de alterar o mais importante, a psiquê. Mulheres não são feitas so de hormonios, utero, seios, glandulas e 1 cromossomo X a mais. A incansavelmente estudada e jamais compreendida alma feminina é esse X, a incognita.
Feminilidade não é afetação.
Da mesma forma mulheres homossexuais que supõem que gestos estereotipados as fazem masculinas não alcançam a essencia da masculinidade.
Ariadna é vulgar e está jogando no ralo uma historia que poderia fazer diferença nesse BBB.
Não digo que é uma pena porque não tenho esse sentimento por nenhum do participantes desse ou dos anteriores. Todos sabem da super exposição, dos riscos do achincalhe e aceitam incondicionalmente, considerando o que vier como lucro, o que me leva a suspeitar que Ariadna age de má fé.
Omissão é grave tanto na vida quanto num jogo de convivencia e para alguns, como pra mim, imperdoavel e inaceitavel.

Penduradas Na Nave disse...

Acho bem complicado essa situação, é uma vida de mentiras que ela vive. Mentira pq aquilo não era dela, a voz não é dela se ela para de tomar hormônio ela começa a falar grosso. E se ela enfrentou a família dela porque não dizer lá na casa o que ela é ??? Não sou homofóbica mais não acho normal uma pessoa tranformar seu corpo dessa forma, olha como é brusco era um homem agora é uma mulher. E os homens realmente não desconfiaram até de sereia o Igor chamou ela, agora as pessoas já estão desconfiando, mais pelo jeito dela, pq se ela fosse mais quieta demoraria mais para perceberem.
Mais enfim, acho muito complexo tudo isso e acho que ela deveria falar, ela não fala pq?? Tem vergonha ou medo de preconceitos, acho que no caso dela a honestidade e a sinceridade seria vantagem para ela.

Flavia_Juka disse...

Olá a todos.
Achei o conselho do Lucival certeiro para a Ariadna. Ela ser ou não ser, não é a questão no caso. O que me incomoda é os outros não saberem... Por ela ser despudorada, ela acaba avançando o sinal com os caras, que ao não saberem de sua condição, estão totalmente expostos, sem nenuma chance de defesa...
Ser enganado é uma das piores coisas da vida.
Flavia Juka

Silvana Marmo disse...

Olá Kane,
Li, li e li e agora tenho uma duvida... O que é mulher?
Nasci mulher, sou mãe e não consegui me encaixar em nenhuma descrição acima...Ser mulher não é gostar de homem, não é ter vagina, não é ter aparecia, já estou beirando os 50 anos e tenho que pensar em repor hormonio, vivo para filhos, trabalho sou arrimo de familia (como muitos homens), mas tenho uma certeza, ser mulher deve ser algo muito maior, ou então sou uma mutação.
Silvana Marmo

A Itinerante - Neiva disse...

Kane,

Gostei muito de seu post e da sensibilidade e cuidado com que procurou falar sobre o assunto que é realmente delicado.

Sobre a questão embutida (ser ou não ser transexual, cortar ou não cortar), acho que foge um pouco ao contexto de discussão nossa.

O que nos cabe é discutir isto mesmo que você colocou: se ela deve ou não contar e as implicações de uma ou outra decisão.

Eu acho que deve contar, até porque alguns já sacaram e quanto mais demorar, pior ficará.

Depende dela agora capitalizar isto de forma positiva e sinceramente, torço para que consiga.

Mesmo não querendo discutir a questão do transexualismo, acho que envolve uma dose considerável de sofrimento para estes indivíduos, de determinação, de esforço.

E, além disto ainda ir para um programa onde estará tão exposta... Só posso achar que Ariadna é um ser humano de muita fibra e coragem.

Mesmo que não ganhe ou não seja minha predileta, espero que não sofra ainda mais com esta experiência.

Beijos

Anônimo disse...

Kane
curtindo muito os teus textos quanto os comentários.
Obrigada por ter aberto a janelinha!
Para variar, o mais interessante do bbb acontece aqui fora, conosco!
Anita
:)

Jordana disse...

Ah, gente. deixa ela ser vulgar, atirada, o q quiser. homossexuais e transgêneros devem ser respeitados em sua condição, mesmo se forem quetinhos ou vulgares, bonzinhos ou mauzinhos, discretos ou afetados.

Ariadna não é menos mulher por ser vulgar. vá a um baile funk e veja o tanto de mulher nascida q age pior do q ela.
logo, a vulgaridade dela não está jogando nada no ralo, ao contrário do q disse alguém ali em cima. a vulgaridade faz parte da personalidade dela, do jeito dela (isso, claro, se ela não estiver sendo coagida pelo Boninho a agir dessa maneira). então a história dela não tá sendo jogada no ralo, e sim construída, só q do jeito q ELA quer, e não do jeito q alguém de fora acha q é o certo.

CAJAL Müller disse...

Ainda nao parei pra assistir, mas estou por dentro da polemica. Confesso que nao sei o que pensar, ao memso tempo que entendo o lado dela, acho um erro grande iludir alguem que pode vir a ser um caso amoroso. mas ca entre nos, deve ser um saco ter feito uma cirurgia pra deixar de ser homem( mesmo que no dna continue a ser) e mesmo assim ter que continuar a se apresentar como tal.

Anônimo disse...

Kane, não pretendi polarizar, apenas contribuir p/ o debate, q julgo pertinente. Parti da concordância c/ duas comentaristas, e do questionamento ao seu título: "homem é homem, mulher é mulher". Questionei, igualmente, a comparação d um outro comentarista (a quem meu penúltimo comentário se destinou) sobre alguém pensar q é um abacaxi. Não acho q me falte interpretação de texto, mas se foi essa a impressão, talvez eu esteja a escrever no lugar errado.
Abraço.

Renata P disse...

Muito bom o exercício argumentativo que li por aqui...
Bem, já fui e voltei mil vezes nos raciocínios, mas... ela não é mulher, caros colegas (pausa para que atirem os paus e as pedras)...
Ela tem um conflito de GÊNERO, apresenta uma IDENTIDADE feminina, mas NÃO É MULHER!A aparência feminina foi alcançada e só será sustentada, mantida, se ela tomar hormônios PARA O RESTO DA VIDA. Ela é TRANSSEXUAL. E isso não é NENHUM DEMÉRITO!
Talvez o grande lance da questão seja a gente parar de ficar pisando em ovos utilizar o termo adequado. Sem medo, sem politicamente correto, sem dourar a pílula.
Isso posto, naturalmente acabo por "pender" pela da "necessidade" da revelação. E, gente, não se trata de querer um currículo, ou dossiê das pessoas ao conhecê-las - convenhamos: saber essa informação de alguém não é um "pequeno detalhe" sobre a vida dela!

Anna disse...

Muito interessante a polêmica aqui instaurada.

Na minha opinião é o seguinte:

A discussão se é homem ou mulher, nesse jogo e para o jogo, pouco importa. Serve para o Brasil discutir e aprimorar os conceitos, derrubar preconceitos, e tudo o mais. Particularmente, sou da opinião da Renata P aqui em cima. Ela tem conflito de gênero, mas MULHER ela não é, e isso não é demérito.

Mas BBB é um jogo, e não consultório de analista.

Para o jogo, o fato dela revelar ou não trará inexpugnavelmente consequências. Uns dizem que ela não tem o dever de contar. Eu até concordo. Dever, ela não tem, mas essa omissão trará consequências (creio que) nada boas para ela, para o jogo. Que ela saiba lidar com isso, pq todo mundo que entra sabe que será julgado.

Anônimo disse...

o que não levaram em conta ainda é o fato de que quase certamente o boninho foi ao hotel e 'pediu' que ela não revelasse totalmente sua história, pelo menos por enquanto.
ela pode se queimar dentro e fora e boa parte da culpa pode ser dele..

Kane disse...

Bom te ver aqui, Lana! A casa é sua!
Beijo!

Kane disse...

Blue eyes, bem lembrado sobre a Roberta Close. Ela é mulher geneticamente. Eu sou contemporâneo da luta que ela teve para garantir seus direitos. De fato, caso totalmente diferente. Valeu!

=================================
Comentaristas,

Eu também fico feliz pelo debate estabelecido, por todas as opinões e manifestações. Eu aprendi alguma coisa, pelo menos me fez pesquisar sobre o tema e entender um pouco mais sobre o processo de transformação. É complicado! Tem que ter coragem. Muita.

Mas a pergunta ainda persiste: falar ou não falar? Omitir ou mentir? Vale a pena? Enfim, Ariadna há de arcar com as consequências. É um jogo de convivência e ela deve estar consciente dos riscos.

A intenção ao abrir o sistema de comentários foi exatamente essa. Que os comentários fossem complemento do post. Acho que estamos conseguindo. É isso.

Obrigado, galera!

Tomem conta da casa que estou na praia. E ainda tem muita cerveja no balde.

Abraço.

Mais tarde eu dou umas "twittadas":
Twitter do Kane

Blue eyes disse...

Falar ou não falar? O "armário" tem uma dimensão recorrente. Coisa reiterada. Ariadna até cortou o pinto, mas sistematicamente será cobrada por sair do armário: "contar a verdade" a toda e qualquer circunstância, a cada dia, a cada momento, a cada festinha em que alguém flertar com ela.

O armário não é coisa de uma só porta, que vc abre e rompe. Vc pode abrir para um amigo, para vários ammigos, para a família, para o patrão, para os vizinhos. Não basta. A cobrança é eterna. Pensem nisso.

JNicodemos disse...

Ariadna é mulher, não porque nasceu biologicamente falando, mas ela é mulher porque se descobriu sendo, se sente enquanto existe, respira, come, dorme, pega ônibus, paquera, defeca, sonha. História de vida, a gente conta no bbb só qd quer, qd é conveniente, oportuno, relevante ou qd dá na telha.
Se alguém roubou borrachinha de apagar perfumada das lojas americanas qd era adolescente, ou nasceu biologicamente homem mas se sentia mulher, conta qd quer e achar que deve.
Ela é mulher, e faz do corpo, da mente e da historia dela o q bem quiser.
abraços.

Renata P disse...

JNIcodemos, sei que você escolheu o exemplo da borracha perfumada apenas como uma alegoria, etc etc, mas não resisto em examinar a "similaridade de relevância" das duas informações. Vejamos:

Cena 1: Depois de muitos beijos, abraços e amassos, de apresentar a gatinha para os amigos e a família ela olha nos seus olhos e diz: tenho que confessar algo... roubei borrachinha de apagar perfumada das lojas americanas quando eu era adolescente...

Cena 2: Depois de muitos beijos, abraços e amassos, de apresentar a gatinha para os amigos e a família ela olha nos seus olhos e diz: tenho que confessar algo... Por 18 anos meu nome foi Ronaldo, mas há 5 anos fiz uma cirugia de mudança de sexo...

Almost the same!!!!

(desculpem, mas não resisti...)

Blue eyes disse...

Renata,

E se você não pode ter filhos? E se você tem HIV? E se você tem o pau pequeno e fino? E se você tem disfunção erétil?

Tem que contar tudo durante a paquera e antes do beijo (ou do sexo), caso contrário é falta de sinceridade? Ou o lance é exigência de plaquinha sincerocida?

Renata P disse...

Blue eyes,

seus exemplos são ótimos, passei por eles também em minhas reflexões.
Mas sigo com minha tendência em achar que a informação "nasci homem" ou "nasci mulher" é básico/essencial/fundamental demais, sabe?

Karime disse...

Ótimo post, Kane.

Na minha opinião, o problema da Ariadna é que ela não se aceita. Se ela aceitasse o que é, se aceitasse sua própria história, não estaria escondendo. E perguntada ela já foi. O Lucival ontem na piscina falou claramente que ele e o Daniel estavam achando que ela é trans, e ela ficou muda.

Pra mim, entender se ela é ou não mulher é menos importante do que entender o porquê de ela não se aceitar. Ela fez cirurgia para remover uma parte do corpo que a incomodava porque ela sentia que não fazia parte dela, e ainda assim não se aceita. Não basta para ela parecer mulher, ou ser mulher, dependendo de como a gente encare, ela quer que todos na casa pensem que ela NASCEU mulher. E isso não é verdade, e essa é a parte da história que ela não quer contar, e é por não querer contar essa parte da história ela vai, sim, ter problemas no futuro.

Eu pessoalmente me sentiria enganada se namorasse um homem e depois de já estar envolvida ele me contasse que nasceu Maria e depois virou João. E pra ser sincera não acredito que me envolveria se soubesse antes, mas pelo menos respeitaria a pessoa pela sinceridade. Isso é preconceito? Pode ser,e se for tudo bem, não sou perfeita.

A jogada dela não é inteligente, porque quando o povo da casa descobrir as reações vão ser as mais diversas, todas veladas, claro, mas isso no BBB a gente já sabe como acaba.

Vivian disse...

Oi Kane, gostei do seu post. É bem isso que penso da Ariadna. Se ela é homem ou mulher, problema dela. Só acho que v e Lucival estão certo... ela deveria se assumir. Não precisa chegar, reunir todos na sala e anunciar a verdade. Poxa, sutilmente ela pode ir revelando o segredo... aliás esse será o caminho que ela irá fazer, eu acho.

Hipocritas esse pessoal da Net, que acusam Daniel e Lucival de canalhas opressores. Aquele Dr. MArcelo BBB8 fazendo o terro, acusando os caras e esquecendo que ele sim foi um canalha com a Bione. Mas enfim, Lucival foi digno, humano e delicado.

No mais... ADORO o clube da Luluzinha. TOmara que elas sigam juntas e demorem a votar entre si. Os caras vão enlouquecer, e irão tentar fazer casal a qualquer custo, mas sou contra. Abaixo os casais por jogo. Abaixo os homens fracos, que se apoiam nas mulheres. Morte ao Diogo, Mauricio e etc. hahaha

Anônimo disse...

Ela não é mais travesti - aquele que se transvesti - usa vestimenta e maquiagem pra se transvestir. O que eu acho é que tá passando da hora de certos brasileiros humanizar essas pessoas que eles morrem de medo e nojo - os travestis, prostitutas e transexuais. Tá na hora da pessoa olhar pros lados e tentar pelo menos conversar com um desses seres humanos que eles desprezam - vão perceber que eles sao humanos.

Gente, vamos lembrar das trans filha do Toninho Cerezo, a Lea T - se ela não fosse rica, morasse na Europa e tivesse a educação-formação profissonal que ela tem, ela seria encaixada do mesmo jeito que a Ariadna. Nas entrevistas ela é bem clara - dói ler o que ela fala sobre o futuro de uma trans. Não é fácil para a Ariadna falar agora com o pessoal da casa.

Eu fico imaginando a luta e o desejo da pessoa cortar fora um pedaço seu - se mutilar, tosar aquilo que te traz dor e que sente que não faz parte do seu ser e tem gente que ainda tem dúvida de que a Ariadna não queria ser mulher, não é mulher. Ela é uma mulher. O resto é discurso de evangélico louco que trabalha com hipoteses que vão de fantasioso ao mágico mitico.

Marina

Anônimo disse...

E lembrando que tudo é construção social inclusive o fato de ser mulher. Vamos lembrar da feminista Simone de Beauvoir - não se nasce mulher, se é transformada em mulher - é uma construção social e ponto.

Em um país com niveis de homofobia gritante, machista até a medula - me faz rir quem ainda pensa que é facil sair do armario ainda mais contar que nascera homem mas fez uma operação pra mudança de sexo. Vai lá contar isso para ver os playboys te assassinando pelo simples fato de sua orientação sexual.

Marina

Anônimo disse...

Bom, qto a questão revelar ou não ser transexual, acho que paro o jogo seria mais interesante se Ariadna, tivesse falado no início, sem maiores detalhes" Sou fulana,trabalho , sou transexual". Se alguém demonstrasse curiosidade e se ela quisesse, comentaria sobre a cururgia, etc.
Não revelar e se insinuar como vem fazendo,acho mau caratismo.
Rosangela

Vivian disse...

Ai Marina, que bonito isso que vc escreveu! Eu posso até não entender oq é certo ou errado, mas eu sei que é um ser humano, com problemas maiores que os meus.

Ah, e sou evangélica e humana como a Ariadna, viu?! ;)

Cláudia disse...

Caro Blue eyes ,citei Roberta Close no meu comentário,não querendo comparar o caso dela com o da Ariadna só quis dizer que o caso da primeira "polemizou" tanto quanto o da segunda .Mas agradesso pelos esclarecimentos.
Abraços

Vânia disse...

Kane,
Aproveite bem a praia e as cervejas. Acompanho seu blog faz alguns bbbs, só te digo uma coisa sobre esse post. Nunca pensei que vc iria estar do mesmo lado de D.lupa e de Scully. Pense nisso.
beijos

Paloma disse...

Alô, caríssimo!

Minha impressão sobre o assunto é essa: se Ariadna estivesse na dela, sem jogar sedução, sem esfregar-se nos rapazes, enfim, se tomasse uma postura discreta, eu defenderia seu direito à privacidade de calar-se sobre sua intimidade sexual. Contudo, não é o que está acontecendo. Deliberadamente ela tentar passar para os rapazes a ideia de que é uma mulher como as outras. Entendeu minha posição? Penso que não é da nossa conta se ela é isso ou aquilo, mas é da nossa conta se ela tenta enganar e dissimular, se pisoteia a ética. Ela está correndo um grande risco, muitos, aliás, inclusive de passar uma péssima imagem, de pessoa não confiável. Que sacanagem, cara! já chegou até a perguntar a um deles se faria sexo com ela. Me poupe, hein?

Karime disse...

Marina, não acho que o Kane, ou ninguém aqui, pense nela como menos do que um ser humano. Não se trata disso, absolutamente.
Agora, não é pelo fato de ela ser humana como todos nós somos que ela não deveria falar a verdade.

Anônimo disse...

Paloma, ela vai fazer sexo com quem? Com homens. Ela ja se declarou HT. Esse negocio de aceitar a Ariadna somente se ele 'se comportar' eh muito cruel. Eh a mesma divisao de sempre entre as santas x putas e isso ja nos trouxe grandes problemas. Dividir as mulheres entre para casar e transar ja nos trouxe grandes problemas. Crir codigos de comportamento para nos idem. Temos que 'nos comportar' como se fossemos eternas mercadorias valoradas com um preco, sei la. O mesmo que aconteceu com a Priscila - Brasil nao estava preparada para uma mulher *piranha mas para o homem *piranho estava preparadissimo tanto que Alemao ganhou.

A cobranca por uma postura soh detona nos mulheres a milenios entao pq a gente na hora de cobrar vai ver a Ariadna como mulher - mas soh nessa hora - pedir que ela 'se comporte', nao tente fazer sexo, seja asexuada dentro da casa pois ela eh uma 'aberracao'. Olha, pena dos caras que tiver um algo mais com ela na casa sem saber que ela eh trans. Pena, pois a gente vive num pais medonho com gente da cabeca estreita demais mas eu temo mais pelo que vao falar sobre ela do que com o que vao falar sobres os machinhos.

Karime, quando eu falei em 'humanizacao' foi no sentido de enxergar o Outro por um vies menos preconceituoso possivel. Sabe aquele lance de vc viver, conhecer, sentar a mesma mesa que a mesma pessoa que a sociedade colocou na sua cabeca que eh seu inimigo? Eh isso - quando vc senta a mesa com esse 'inimigo' criado , vc o conhece, vc o humaniza...

Marina

Blue eyes disse...

Cláudia,

Detesto parecer gato-mestre, ficar dando lições. Mas, nestes casos, acho que a informação ajuda a superar preconceitos. Obrigado pela tua atenção e gentileza.

O caso da Roberta fez furor, principalmente, porque ela é lindíssima. Então, esse lance do "conta ou não conta" nem era tão febre. Porque muitos homens, em verdade, sentiam-se atraídos por ela. Mesmo sabendo! Erasmo fez música.

O hermafrodita verdadeiro normalmente é XX. Tem órgãos sexuais internos e externos completos. O pseudo pode ser masculino, com cromossomos XY, como é o caso da Roberta Close. Ou feminino, XX, onde o clitóris desenvolve-se à semelhança de um pênis.

A correção é cirúrgica. Há razoável consenso de que a operação não deve ser feita quando bebê ou criança, mas deve-se permitir que o(a) hermafrodita decida isso posteriormente (embora possa haver problemas psiquiátricos pela dificuldade de identidade de gênero). Há casos que preferem não se operar: normalmente constituem identidade de mulheres.

Não é o caso de Ariadna. Ali, não há causa orgânica associada.

Blue eyes disse...

Marina,

Clap, clap, clap. É aquela história de que a mulher feminista tem que ser dócil, não pode ser barraqueira, não pode exigir seus direitos (mas negociá-los sem perder a ternura e, por conseguinte, a feminilidade).

Gays também passam por isso. Se são afetados, despertam mais preconceito. "Nada contra a opção (sic) de cada um, mas precisa ficar dando pinta",comentam alguns heterossexuais que se julgam tolerantes.

Ana disse...

Fugindo do assunto, acho que no contexto de BBB ela deveria contar sim, mas por outro motivo: a exposição pública do cara que porventura venha a ter algo com ela lá dentro. Sabemos o quanto a sociedade é preconceituosa - ela melhor do que ninguém - e o quanto esse cara vai ser achincalhado aqui do lado de fora. Na "vida real" dela, ela não tem de chegar com uma placa no pescoço escrita "sou mulher mas nasci homem, ok???".

E ser transexual é muito complicado, já disseram acima e não choverei no molhado. Não é questão de ser XY, é uma questão de cabeça e auto-imagem/auto-compreensão. Como alguém disse brilhantemente acima, ela não é um homem gay - homens gays por mais afetados que sejam reconhecem sua identidade como HOMENS que gostam de outros HOMENS. Ela é uma mulher que gosta de homens e por um grande azar nasceu com o sexo biológico que não corresponde ao psicológico. É muito complicado.

Ana F. disse...

Oi, Kane

nem te conheço - vim parar aqui por esses
caminhos tortuosos da Internet.
Sem chover no molhado, digo que compartilho das opiniões de Aline e de quem mais que enxerga o ser humano como algo mais do que um amontoado de células. Só quero deixar uma informação, que não vi nos comentários, e uma opinião:
1 - A inadequação entre identidade sexual/de gênero e o corpo - o caso de Ariadna - é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde como uma doença psiquátrica. O tratamento é, justamente, a cirurgia de mudança de sexo (acompanhado de tratamento psiquiátrico, etc.). Há pouco, soube que o SUS havia incorporado a cirurgia, mas que a bancada evangélica estava embarreirando o processo. A pesquisar.

2. Pra quem diz que a condição de mulher de Ariadna não é natural e precisa ser mantida: a minha rua é apinhada de salões de beleza, para onde acorrem mulheres diariamente, que precisam manter suas condições femininas fazendo manicure, depilação e ajeitando os cabelos. Vamos deixá-las "ao natural" e ver o resultado?

Abraço,
Ana

izilda disse...

Oi galera.....ontem na festa "caliente" ela/ele contou para algumas meninas da casa, que era/é garota/garoto de programa.
Claro que vocês devem ter visto, mas sabem o que eu acho? Ela tem um puta medo de dizer que é homem, ela simplesmente trava, NÃO CONSEGUE FALAR!!!! Acredito que seja uma dificuldade que ela tenha com ela mesma, um sentimento ainda não tão bem trabalhado, um não consentimento dela com ela, enfim, ela mesmo tem algum preconceito dela.....mas já pensaram o que deve se passar numa cabeça de alguém que por natureza nasceu homem (com pênis) e virou mulher(Com vagina)? A cabeça dela deve estar a um trilhão por hora, e ainda sabendo que o Brasil inteiro sabe e suas amigas não.....na verdade eu não gostaria de estar na pele dela....mas com tudo isso, e apesar de tudo isso, eu admiro a coragem dela.....

bjs
izilda

gestaop2010 disse...

Oi Kane,
Muito bons esses comentários, quem disse que ver BBB é tempo perdido?? (uma amiga minha disse)
Eu pensei em uma coisa: Se um desses desavisados dão um amasso na Ariadna, ou até faz sexo com ela e depois fica sabendo que ela é trans? A mentalidade machista de grande parte dos brasileiros é uma coisa de louco!!Nos EUA ja aconteceu casos parecidos e acabou em assassinato... é pra se pensar...
Ah, continue com os posts longos.

insanita disse...

No último bbb torci e votei muito no Dourado. Nunca fui homofóbica e aprovava a coerência do cara e do seu posicionamento dentro do jogo. Creio que Dicesar, Serginho e Morango não escancararam tanto no linguajar porque Douradão botou ordem no galinheiro logo no começo quando os três gays da casa começaram com conversinhas de conotação sexual prá lá de picantes à mesa nos momentos de refeição. Nesse BBB não tem Douradão e Boninho teve que assumir o papel quando deu um esculacho em Ariadna por causa do comportamento da sister. Não simpatizei com a Ari mas não quero que ela saia...não agora, pois acho que ela pode aprender ainda muita coisa, pode se conhecer melhor e quem sabe sair de lá uma pessoa melhor. Não tenho medo que ela fique mais forte, o povo não é tão burro assim, ela só sairá vencedora de lá se se fortalecer por merecimento. O povo aqui fora já mostrou sua força no último BBB. Ariadna é o retrato desse submundo que a nossa sociedade hipócrita fecha os olhos e finge que não vê ou levanta o vidro dos carros como quem diz “o problema não é meu!” Quanto as mentiras que ela conta, tá...acho que ele(a) viaja na maionese, talvez pra reforçar que é mulher, aborda assuntos de mulheres: anticoncepcional, menstruação, ginecoogistas, não aprovo...mas quando se vive uma mentira, sustenta-á contando outras mentiras! Agora...quanto a omitir que não é mulher....acho que os machos dessa casa estão é se fazendo de besta ou eu é que sou ótima observadora, pois nunca a vi ao vivo e pela telinha no momento que saiu daquele carro eu já disse pra todos aqui em casa: Nossa! Essa é travesti! Imagine quem está convivendo todos os dias com a Ari ao vivo e a cores!! Cá prá nós... eu acho é que ninguém tem coragem de falar, até as bibas ficaram confabulando entre eles mas ninguém chegou e perguntou na lata se ela é travesti, até insinuaram mas não perguntaram!! Se é por não ter nenhum volume na parte de baixo do biquíni Ah!!! Todo mundo sabe que existe cirurgia pra isso e que não é de hoje!!

Postar um comentário

Ah, navegante, você sabe as regras de conduta. Não envergonhe Voltaire e faça sua parte. Eu, certamente, farei a minha: deletarei os comentários tolos ou ofensivos a quem quer que seja (comentaristas ou blogueiros). Meta pau nos que venderam a alma pro Boninho.

Contato com Citizen Kane E-mail: sociedadebbb@bol.com.br
.