terça-feira, 6 de março de 2007

Flávia: a eliminada da semana.

Numa edição que contou a história do paredão formado... como se não soubéssemos, e a desfaçatez do G5 em querer jogar com a gente no sentido de que, o BBB está no seu curso normal, conforme manda o bom processo natural de eliminação, resultou em Flávia eliminada com 77% dos votos e vai assistir o restante do programa em casa, fazendo companhia a Íris, a sempre presente, em todas as edições, nos blogs, nas revistas, nos programas de televisão, nos comentários inflamados, no cotidiano do brasileiro comum, na vida dos jogadores remanescentes... enfim, a edição gozou com os contra Siri. Foi hilário! Não precisava mas, foi divertido, não consigo parar de rir... tá flórida!

As edições mostraram ainda um pouquinho da história do casal Bruna e Alberto, meia boca, gélido, mas, tentaram, se esforçaram e o resultado foi melhor do que realmente é. O resto foi para preencher tempo mesmo. Nada assim digno de nota para o andamento do jogo, apenas para entreter.

Pedro Bial ainda fazendo das suas, menos irônico, mas, envenenando os confinados. Será certo? Será errado? Seria certo se fossem com todos na mesma intensidade e propósito. Tomar partido não é a função dele. Instigar até vale mas, que o mote seja para todos como jogadores e não destacando um e rebaixando outro. Falta aquela padronização solicitada no post anterior.

Flávia foi uma figura a parte no jogo. Uma alegria constante na casa de repousos. Pelo menos, ela curtiu de MONTÃO. Acho que foi a participante que mais ganhou prêmios até então, nesse BBB, e se somar, deve ser de valor maior que o 2º colocado embolsará.

Flávia... tenha a certeza que tudo que você fez, foi interpretado como o seu melhor e que foi excelente. Sabemos muito bem porque não foi mais longe. Sua participação foi exemplar e sua personalidade nos alegrou em muitos momentos à frente da televisão. É um jogo e só um leva, faz parte do processo. Tenha a certeza que você cumpriu a sua missão, de maneira correta e digna de aprovação popular. Agora é só curtir o bom do pós BBB. Muita coisa de bom ainda vai rolar na sua vida, e só caprichar. Deus esteja contigo.

Admirei e parabenizo a maneira como saiu da Big House, de cabeça erguida e sempre sorridente. Foi o diferencial nesta eliminação.

Felicidades!

1 comentários:

Heineken disse...

Faço minhas as palavras do meu colega grooefuk, da comunidade bbb:

"Pessoal, depois da inescrupulosa edição de ontem (com direito a trilha sonora vil, marteladas macabras, ridicularização do sonho de Airton de ganhar, ausência do esfrega-esfrega dos louros...), só me resta deixar de assistir ao programa. Na boa, não tenho mais estômago. Eu já sabia que o cheque estava assinado e a resistência, crucificada. Mas a hipocrisia da edição e do apresentador-torcedor atingiu o limite.

Ao contrário de muitas análises, o que me interessa no BBB é compreender, não a personalidade dos participantes, mas o que está por trás da aceitação pública dos comportamentos dos jogadores, da produção e do apresentador.

As conclusões que tiro deste bbb7 são mais tristes do que eu imaginava:
1- Sempre fui crítico de teorias da conspiração e da manipulação global. Mas está mais do que evidente a falta de escrúpulos de Boninho e Bial na falta de pudores em transformar jogadores em personagens maniqueístas de uma novela. Por mais que se tente remediar, os danos aos jogadores da resistência são indiscutíveis e imorais. Também é indiscutível a negligência de Bial e sua equipe diante de valores da cultura democrática (transparência, igualdade de oportunidades e respeito à dignidade humana).
2- Por parte do público, a consolidação de uma sociedade da imagem e das aparências. O primeiro sinal é o irrestrito respaldo dado a um jogador bonito e carismático, mas incivilizado, grosseiro até com seus pares, prepotente, violento e machista. Em suma, um símbolo do desrespeito à mulher. O segundo é a premissa de que raciocínio estratégico legítimo, civilidade e respeito a diferentes valores são condenáveis e articifiais, bastando pra isso se auto-afirmar como "de coração bom" e "da paz". Mesmo que diante de manisfestações claras de ódio, sentimento de vingança, satanização do outro, impulsividade exacerbada e passionalidade exagerada - estas sim consideradas expressões de espontaneidade e autenticidade. Quanto maniqueísmo!

Como não consigo mais acompanhar o BBB7, me retiro das discussões e desejo a todos o melhor! O melhor que conseguirmos fazer com esse Brasil..."

Um abraço e até a próxima!

Postar um comentário

Ah, navegante, você sabe as regras de conduta. Não envergonhe Voltaire e faça sua parte. Eu, certamente, farei a minha: deletarei os comentários tolos ou ofensivos a quem quer que seja (comentaristas ou blogueiros). Meta pau nos que venderam a alma pro Boninho.

Contato com Citizen Kane E-mail: sociedadebbb@bol.com.br
.